Como investir no Tesouro Direto

  • outubro 27, 2022
  • 7 minutos de leitura
  • Read Icon1555 lido

Aprender como investir no Tesouro Direto pode ser uma boa opção para fugir da inflação e ter rendimentos melhores que a poupança!

O programa Tesouro Direito foi criado em 2002 em uma parceria do Tesouro Nacional e a BM&FBOVESPA para facilitar o investimento de brasileiros em títulos públicos federais. Esse programa permite que qualquer pessoa física possa aplicar diretamente no tesouro direto a partir do valor mínimo de R$30,00.

O Tesouro Direto disponibiliza títulos públicos para serem comprados por pessoas físicas. Os títulos públicos são dívidas públicas contraídas pelo governo federal ao fornecer educação, segurança, saúde e infraestrutura. Em outras palavras, os títulos públicos são montantes em dinheiro que o poder público deve por conta de suas atividades exercidas no país.

Através do Tesouro Direto, você poderá comprar títulos públicos diretamente de sua casa. Tudo o que você precisa para começar a investir no Tesouro Direto é a quantia de R$30 reais. Você pode comprar um título da dívida pública a partir de 1% de seu valor total, entretanto se essa quantia for inferior a R$30 reais, você deverá comprar a porcentagem correspondente à esse valor mínimo.

Os requisitos necessários para comprar os títulos é apenas ser portador de um CPF e ter uma conta corrente em um banco. Preenchido esses requisitos, você pode começar a investir no Tesouro Direto seguindo os passos abaixo:

1. Escolha uma instituição autorizada pelo Tesouro Nacional

O primeiro passo é você entrar em contato com instituições financeiras que sejam habilitadas a realizarem o seu cadastro no Tesouro Nacional. Nem todas as instiuições financeiras são agentes de custódia, o nome pelo qual é chamado as instituições que são autorizadas a intermediar as transções no Tesouro Nacional.

1.1 Procure por uma instituição habilitada:

Você deve entrar em contato com o seu banco ou corretora de sua preferência para verificar se essas instituições podem realizar o seu cadastro no Tesouro Nacional. Os bancos mais populares no Brasil como, por exemplo, Banco Itaú, Santander, Bradesco, Caixa Econômica Federal, são autorizados.

1.2 Dê preferência a corretoras:

É recomendado que você verifique se a instituição cobra taxa de administração pela negociação dos títulos de dívida pública. Os bancos costumam cobrar taxas altas para exerem o papel de agentes de custódia, o que pode não ser uma opção tão interessante para você. Além disso, não é tão vantajoso para o banco que o seus clientes optem por investir no Tesouro Nacional, sendo raramenta essa opção discutida pelo gerente do banco.

1.3 Verifique se é uma agência integrada:

Algumas instituições financeiras possuem sistema integrado com o Tesouro Direto, o que significa que oferecem a possibilidade de seus clientes compararem diretamente de sua plataforma títulos do Tesouro Direto. Essa característica pode tornar ainda mais acessível e fácil a compra dos títulos.

1.4 Analise a taxa de administração:

Antes de contratar uma instituição financeira verifique com atenção a taxa de administração cobrada por cada instituição financeira habilitada a exercer o papel de agente de custódia. A média de taxa de administração varia entre 0,00% a 2,00%. Dê preferência as instituições que são isentas de taxas de administração.

  • Você pode verificar a lista completa através desse link: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto-instituicoes-financeiras-habilitadas

2. Solicite o cadastramento no Tesouro Nacional

Após escolher o seu agente de custódia, você deve solicitar que a mesma faça o seu cadastramento no Tesouro Nacional.

Para que a corretora ou banco abra uma conta em seu nome é necessário os seguintes dados:

  • Dados pessoais
  • Cópia do CPF
  • Cópia do RG
  • Comprovante de residência

O processo de seu cadastramento no site é simples e rápido, e quando for finalizado você receberá um e-mail com uma senha provisória. Através dessa senha provisória você poderá navegar na área restrita do Tesouro Nacional, tendo acesso ao seu saldo, extrato, compra e venda de títulos, entre outras opções.

O próximo passo é redefinir a sua senha, ou seja, alterar a senha provisória por uma nova. Por questões de segurança a sua senha deve conter entre 8 e 16 dígitos, formada por letras, números e caractéres especiais. Esses requisitos são destinados a aumentar a sua segurança, dificultando que terceiros tenham acesso a sua senha.

3. Leia sobre as diferentes opções de títulos disponíveis

Há diferentes tipos de títulos em que você pode investir no Tesouro Direto. Mas, existem duas categorias principais: os títulos pós-fixados e pré-fixados. Cada um tem características peculiares que devem ser analisadas com cuidado antes que você escolha comprar.

Fizemos um breve resumo das principais diferenças entre as categorias de títulos:

  • Títulos pós-fixados: Os títulos pós-fixados são aqueles em a sua taxa de juros é prefixada no momento da compra e também sofrem correção de acordo com as variação de um indexador, o qual pode ser pela taxa de juros Selic ou IPCA. Em outras palavras, a rentabilidade do título varia de acordo com o desempenho do indexador e da taxa de juros definida no momento da compra.
  • Títulos pré-fixados: Por sua vez, os títulos pré-fixados desde o momento da contratação tem a sua rentabilidade definida, ou seja, as taxas de juros não modificadas durante o contrato. O investidor saberá exatamente o valor que deve receber se mantiver o título até a data do vencimento. Essa categoria de título é mais recomendável quando a taxa de juros estiver caindo na economia.

4. Escolha um título que se adeque ao seus planos

Não existe um título especifico que seja o melhor para você investir. O título mais aconselhável pode mudar para cada pessoa. O seu investimento deve ser realizado de acordo com a suas necessidades, planos e a situação econômica do país. Investir é também uma forma de proteger o seu dinheiro da inflação.

Confira o simulador de valores de títulos do Tesouro Direto aqui!

Antes de escolher um título para comprar no Tesouro Nacional, analise os seguintes fatores:

4.1 Objetivo financeiro:

A primeira pergunta que você deve fazer a si mesmo é: qual é o seu objetivo financeiro? Para algumas pessoas é trocar o carro, para outras é comprar uma casa, ou até mesmo ter dinheiro suficiente para quando estiver aposentado. Essas questões são primordias de ter em mente, uma vez que existem títulos de curto, médio e longo prazo de investimento. Ou seja, a data do vencimento do título deve alinhada de acordo com os seus planos.

4.2 Prazo de investimento

Assim como mencionamos acima, o seu objetivo financeiro está diretamente ligado ao prazo de investimento. A qualquer momento você pode resgatar o seu título, mas resgatar o seu dinheiro antes do investimento pode ter um impacto negativo em sua rentabilidade. Quando o título é resgatado antes do vencimento ele é vendido pelo valor do mercado, o qual pode estar abaixo do valor previamente acordado.

4.3 Risco:

Os títulos públicos são considerados como investimentos de baixo risco no mercado financeiro. Essa maior segurança em seu investimento é por conta do governo federal ser o seu credor. As chances do governo federal não pagar os investidores é bastante remota.  Entretanto, alguns títulos oferecem riscos maiores de prejuízo, caso sejam resgatados antes da data de vencimento. Por isso, para evitar prejuízos é aconselhável que você se informe das consequências em resgatar o título antecipadamente.

5. Espere o vencimento ou venda o título antecipadamente

Após escolher um título de acordo com os seus objetivos financeiros, você deve esperar o vencimento do título para receber o pagamento do governo com as taxas de juros incluídas. O vencimento é nada mais do que a data em que você receberá o pagamento com juros do governo federal.

5.1 Como saber a sua data de vencimento?

Não há nenhuma surpresa nesse momento, uma vez que durante a compra do título você pode escolher o prazo de investimento que mais se adequa com os seus objetivos. Depois disso, você apenas deve esperar a data do vencimento, e no dia do pagamento o valor será depositado em sua conta a partir das 13h.

5.2 Vender antecipadamente dá apenas prejuízo?

Apesar de não ser recomendado, a venda do título antecipadamente pode ser vantajosa em situações pontuais. Se você comprou um título prefixado e a taxa de inflação e juros da economia foi maior do que os juros acordados, você poderá sofrer prejuízos se não vender antecipadamente o seu título.

Para resgatar o seu título antes do vencimento, você deverá fazer a venda dos títulos através da recompra do Tesouro Nacional. Essa transação pode ser realizada nos dias úteis, de segunda-feira à sexta-feira, durante 9h30 às 18h, e também nos fins de semana e feriados das 18hr às 5h.

Horário de todas as transaçōes do Tesouro Direto 

As aplicações e os resgates podem ser feitos nos dias úteis, em horário comercial, das 9h30 às 18h, com os preços e taxas operados no momento da transação.

Das 18h às 5h, nos finais de semana ou feriado, os preços e taxas exibidos no site do Tesouro Direto são apenas para referência. Você pode realizar investimentos e resgates, mas serão considerados os preços e taxas de abertura do mercado do próximo dia útil.

Nos dias úteis, das 5h às 9h30, o sistema fica em manutenção. Você pode conferir todas as regras deste investimento, no site oficial do Governo, clicando aqui. 

Ficou com alguma dúvida de como investir no Tesouro Direto? Pergunte ao Financer!

Esse artigo foi útil?

Seja o primeiro a dar feedback

Advogada, especialista em gestão de negócios pela FGV. Atualmente cursando Pós Graduação em Finanças, Investimentos e Banking pela PUC.

Compartilhe em
Read Icon1555 lido

Explore nossas seções