Caixa Econômica reduz juros para financiamento imobiliário

2 minutos

No dia 16 desse mês, a Caixa Econômica Federal anunciou a diminuição da taxa de juros cobrada do financiamento imobiliário. Essa redução da taxa de juros é a primeira desde novembro de 2016, ou seja, há mais de um ano. As novas taxas de juros estão valendo nos financiamentos imobiliários feitos a partir do anúncio do banco.

Menores taxas de juros

A nova taxa de juros incide para quem financiar imóvel usando recursos do SBPE, Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo. A partir da redução feita pela Caixa, a taxa mínima de imóveis na linha do SBPE é de 9% ao ano para imóveis de até R$800 mil reais ao redor do país. A exceção a regra são os imóveis localizados no Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, em que o valor financiado pode chegar até R$950 mil reais.

Esse corte na taxa de juros foi de 1,25 pontos percentuais para o SBPE. Antes dessa alteração, a taxa de juros cobrada era de 10,25% ao ano para imóveis na linha SBPE. Enquanto, os imóveis acima dos valores estabelecidos no demais estados do país chegava a 11,25% ao ano. Hoje em dia, imóveis acima dos valores citado anteriormente, incidem a taxa de juros de 10% ao ano.

Aumento no crédito concedido

Além do corte das taxas de juros, a Caixa também aumentou o valor do financiamento do imóvel. Antes dessa alteração, a Caixa apenas financiava até 50% do valor do imóvel, agora é possível obter um financiamento de até 70%. O aumento do valor de crédito oferecido amplia as escolhas de quem quer comprar a casa própria, não mais precisando rejeitar opções um poucos mais onerosas.

Instabilidade da Caixa em 2017

Assim como citamos anteriormente, a Caixa diminuiu a taxa de juros apenas uma única vez em novembro de 2016. Com a sua taxa de juros acima de 10%, nos meses passados, a Caixa perdeu a sua liderança no ranking de financiamento de imóvel. A Caixa era o único banco a manter taxas de juros superiores a 10% dentre os outros 4 principais bancos do Brasil – Santander, Itaú, Bradesco e Banco do Brasil

No ano passado, a Caixa teve uma queda da metade de concessão de créditos para financiamento, em comparação com o ano de 2014, quando o lucro chegou a R$ 7,1 bilhões. O que demonstra que a resseção econômica do país nos anos anteriores teve uma forte influencia na queda dos lucros e, em consequência, no volume de concessão de empréstimo.

Vale lembrar que a Caixa havia suspendido a linha de financiamento de imóveis Pró Cotista, a mais barata com exceção da “Minha Casa e Minha Vida”. Essa linha financia imóveis no valor de até 1,5 milhões de reais, e foi restabelecida em janeiro desse ano. O mesmo aconteceu com o teto para financiamento, que havia sido reduzido de 70% para 50% no final do ano passado, mas foi restabelecido esse ano.

A previsão para 2018, no entanto, é boa e distante da instabilidade dos anos passado.A esperada melhora na economia torna o momento propício para financer um imóvel. No momento atual, a taxa de juros cobrada no financiamento imobiliário está próxima à taxa Selic, 6,5% ao ano.

Quais são os financiamentos com menores taxas de juros?

Atualmente, a Caixa Econômica Federal voltou a liderar o ranking de taxa de juros mais baixa no financiamento de imóvel. De acordo com o Banco Central do Brasil, no dia 24 de abril de 2018, os bancos com as menores taxa de juros, depois da Caixa, são: Banco do Brasil, Banco Santander, Banco Bradesco e, o mais oneroso de todos, Banco Itaú.

×

Por favor classifique Caixa Econômica reduz juros para financiamento imobiliário