Como sair das dívidas

Parece que do dia para noite ficamos endividados até o pescoço e, na maioria das vezes, sem nem sabermos como isso aconteceu. A verdade é que as dívidas não acontecem sozinha, mas, sim, se acumulam dia após dia, de acordo com as nossas prioridades e escolhas.

Infelizmente, poucos brasileiros são educados sobre como gastar o dinheiro de forma consciente e monitorar os seus gastos diários. A matemática é bem simples: você deve gastar de acordo com o que ganha. Se você gastar mais do que o seu salário, você terá dicas. Se você gastar menos do que o seu salário, você terminará o mês com dinheiro sobrando.

1. Avalie e determine todas as suas dívidas

Não deixe que a preucupação com a falta de dinheiro te paralize em encontrar formas de sair das dívidas. Essa é uma armadilha bem comum de acontecer quando focamos em nossa falta de dinheiro, e não na solução para conseguir mais dinheiro.

O primeiro passo é tão simples que muitas vezes as pessoas não dão o devido valor a ele e, claro, depois se arrependem. Antes de tudo, você precisa definir para quem você está devendo, o que você está devendo, e o valor que você está devendo.

Tudo bem se ficou confuso, vamos explicar passo-a-passo como determinar a sua dívida:

  • Credores: Você apenas está endividado porque está devendo há alguma pessoa física ou jurídica. Determine quem são os credores dos valores que você deve pagar. É apenas uma única pessoa ou mais de uma? É importante ter em mente quem são os seus credores para que mais tarde você renegocie as suas dívidas com eles.
  • Produtos/serviços: É através do dinheiro que podemos comprar produtos e serviços, desde o serviço de água até um carro 0 quilômetro. Avalie quais são os produtos e/ou serviços que você ainda está pagando. Corte os serviços que você realmente não precisa. Priorize pagar os débitos maiores.
  • Valor total: Dependendo de quantos credores você possui, cartões de crédito, e formas de pagamento, o valor total pode ficar distante. Não se engane: some todos os valores para saber o quanto você terá que pagar de fato. É ilusão acreditar que as 8x parcelas naquela compra realmente nos ajuda ao final do mês – apenas faz virar uma bola de neve.

2. Gaste dinheiro apenas com o necessário

Agora nós já temos uma visão geral de nossa dívida: quem devemos pagar, como ela se formou e o valor total dela. A partir desse ponto, podemos começar a organizar a nossa vida financeira.

Independente do valor do seu salário, você deve começar a gastar dinheiro apenas com o que é necessário. Isso não é sobre gastar menos dinheiro, mas gastar mais dinheiro com o que realmente importa. Esse pensamento vai te ajudar a transformar o seu modo de se relacionar com o dinheiro e ser um consumidor consciente.

Faça as demais perguntas para você mesmo antes de gastar o seu dinheiro:

  • 1. Eu poderia esperar para comprar isso no próximo mês? Se a resposta for sim, não compre.
  • 2. Essa compra aumentaria as minhas dívidas? Se a resposta for sim, não compre.
  • 3. Esse produto/serviço não é necessário para eu sobreviver? Se a resposta for sim, não compre.
  • 4. Ao invés de comprar eu poderia pedir emprestado de alguém ou fazê-lo sozinho? Se a resposta for sim, não compre.

Quando nós sugerimos que você gaste seu dinheiro apenas com o necessário, nós queremos dizer que você deve gastar dinheiro com o que é essencial: eletricidade, água, comida de qualidade, educação. Por sua vez, ir ao restaurante 5 vezes por mês, comer fast-food, comprar roupas a cada semana, entre outros, são exemplos práticos do que você tanto deve como também PODE evitar.

3. Tente renegociar o pagamento de sua dívida

Após você ter definido a sua dívida e ter cortado gastos desnecessário, chegou o momento de você falar com o seu credor sobre a sua dificuldade em quitar a dívida.

A renegociação da dívida não é um ato de caridade e benevolência do credor, afinal também é do interesse dele que você consiga pagar a dívida. No pior dos casos, a sua inadimplência integral é um grande prejuízo para o seu negócio, especialmente se tratar-se de pequenas empresas.

Lembre-se de duas coisas quando renegociar a sua dívida:

  • Insista em sua solução: O problema pode ser o valor da dívida, a forma de pagamento da dívida, ou ambos os fatores, o que realmente importa é que você demonstre isso para o seu credor. Sugira uma forma de parcelamento que seja realista para o seu bolso. O foco é encontrar uma forma de pagar todo o valor que você deve adaptado às suas finanças.
  • Não aceite qualquer acordo: Não espere, contudo, que o seu credor aceite a forma mais conveniente para você de primeira. Durante o acordo, o seu credor fará sugestões que serão mais benefícas para ele do que para você, podendo até mesmo serem mais prejudiciais. Fique calmo e insista em sua alternativa. Do que vale renegociar a sua dívida e continuar com dificuldade em pagá-la?

Lembre-se que a renegociação de dívida é algo rotineiro no departamento de cobranças de empresas. Ainda mais no momento de crise atual, onde muitos clientes perderam o emprego ou estão sofrendo com a as consequências da inflação devido a crise econômica no Brasil. Por isso, não deixe de tentar renegociar o pagamento de sua dívida.

4. Faça um empréstimo com menor taxa de juros

Dependendo de sua situação financeira, fazer um empréstimo pessoal pode ser uma boa alternativa para pagar de uma vez por todas as dívidas com maiores juros. Ainda que esse empréstimo é, de fato, uma nova dívida, quando feito com organização e planejamento pode ajudar mais do que atrapalhar.

O problema é que as pessoas não pesquisam sobre os empréstimos que solicitam e muito menos se organizam com antecedência para pagá-los quando a fatura vier. Empréstimos, assim como o nome sugere, é um dinheiro que é cedido por uma empresa física para que voce devolva mais tarde. Por isso, deve ser feito com cautela e muita pesquisa.

Por que você deveria fazer um empréstimo pessoal?

Liquidar as dívidas com juros altos: Você poderá pagar as dívidas com maiores juros de uma vez só com o valor do empréstimo. Ainda que o valor de pagamento do empréstimo seja menor, o fato de você ter menos dívidas para pagar e, consequentemente, menos taxa de juros aumentando de acordo com a inadimplência, pode sair mais barato no final das contas.

Empréstimo para limpar o nome: Há diversas formas de limpar o seu nome no Serasa, SPC e SCPC , uma delas é pagar a dívida integralmente com a ajuda de empréstimo. Quando o nome do consumidor é incluído no registro do SPC e Serasa, diversas consequencias negativas refletem em sua vida. Uma das piores consequencias é a dificuldade de encontrar emprego, devido a análise do histórico financeiro do candidato pela empresa.

Dívida com cartões de crédito: É sempre aconselhável que você não utilize mais os seus cartões de crédito quando estiver no vermelho. Livre-se deles para que você não realize nenhuma outra compra a não ser que seja à vista. Os cartões de crédito são conhecidos pelas suas altas taxas de juros. Uma pequena dívida no cartão de crédito pode superar a dívida de um financiamento de carro em questões de poucos meses devido aos seus juros.

5. Torne o controle de gastos um hábito

Independente de você estar endividado ou não, fazer o controle de gastos é um hábito essencial para organizar a sua vida financeira. Nunca é tarde demais para começar a controlar para onde o seu dinheiro está indo durante o mês.

O controle de gastos, assim como o nome sugere, é uma administração do que você compra com o seu dinheiro. Esse gerênciamento de gastos pode ser realizado em um bloco de notas, em um aplicativo de celular, ou em uma planilha no excel. O que mais interessa é que você torne essa prática um hábito diário.

Aqui citaremos alguns dos benefícios de controlar os seus gastos:

  •  Permite que você tenha uma visão geral sobre o custo de produtos e serviços.
  • Você poderá comparar os preços mais vantajosos do que você estiver consumindo.
  • Fica mais evidente se o seu dinheiro está sendo investido em seus objetivos.
  • Te ajuda a se tornar mais consciente sobre o valor do seu dinheiro e a pensar mais antes de comprar.
  • Torna mais prático economizar dinheiro através do corte de produtos/serviços desnecessários.

O maior objetivo do controle de gastos, sem dúvidas, é que o saldo de seu dinheiro no final do mês seja positivo ao invés de negativo. Você deve fechar o mês com dinheiro sobrando para que você possa realizar investimentos. Enquanto as suas dívidas forem maiores do que o seu salário, você não sairá do círculo vicioso do endividamento.

6. Crie um fundo de emergência

O fundo de emergência é uma reserva de dinheiro que você guardará no banco para situações emergenciais como ficar desempregado, doente, ou precisar sair de uma dívida. De acordo com o seu objetivo de fundo de emergência, ele pode ser o suficiente para pagar todas as suas despesas desde 1 mês até um ano.

5 passos para você criar o seu fundo de emergência:

 1. Defina o seu orçamento mensal: O seu orçamento mensal demonstra a sua renda mensal e as suas despesas. É através do orçamento mensal que você pode ter uma idéia do quanto em dinheiro você precisa por mês para pagar todas as suas contas e, consequentemente, juntar em seu fundo de emergência.

2.Trace um objetivo: Chegou a hora de traçar um objetivo de quanto dinheiro você precisa economizar. Em outras palavras, você deverá economizar o triplo do valor de seus gastos mensais se você quiser ter um fundo emergencial para 03 meses. Por exemplo, se a sua despesa é de R$2.000 reais por mês, você deve ter em seu fundo de emergência por volta de R$6.000.

3.Reserve uma quantia em dinheiro: Quanto mais despesas, mais contas para pagar. Foque em manter apenas os serviços e produtos que são essenciais para a sua qualidade de vida. Tudo o que for surpérfluo você deve evitar para economizar para seu fundo de emergência. Você também pode começar com uma das idéias para ganhar dinheiro extra escrito em nosso artigo.

4. Abra uma conta de poupança: Converse com o gerente de sua agência bancária para abrir uma conta de poupança, caso você ainda não tenha. Pesquise sobre as contas de poupança com as melhores taxas de juros, assim o seu dinheiro vai render, ainda que pouco, enquanto estiver parado. Outra tática é solicitar uma transferência automático de seu salário para o banco, assim você não pensará duas vezes em utilizar o dinheiro.

5. Reavalie o seu orçamento: É aconselhável que após 6 meses você faça uma reavaliação do seu orçamento mensal. O seu salário líquido e as suas despesas podem ter mudado durante o período. Além disso, você deve analisar o progresso de sua conta emergencia e, se for o caso, quanto falta para cumpri-la. Atualize as suas metas e objetivos para que você continue investindo o seu dinheiro.

Financer privacy settings

With using financer.com you acknowledge our terms and conditions as well as our data privacy policy. We use Cookies to analyze and track the usage of our website in order to improve our services. Certain Cookies require your active consent in order for us to collect this data. You can inform yourself about the third-party-services we use as well as withdraw your consent anytime in our Cookie-Settings.

Facebook Marketing

SEO Solutions Ltd. (we) as the provider of the website financer.com is using the Facebook-Pixel to promote our content and services to our visitors on Facebook as well as track the results from these marketing activities. This data is anonymised for us and serves for statistical purposes only. Facebook can connect the data collected from the Facebook Pixel with your Facebook profile (Name, E-mail, etc.) and use this for its own advertising purposes. you can view and control the data Facebook is collecting about your Facebook privacy settings.