Qual é o rendimento da poupança?

5 minutes

Para a maioria dos brasileiros, investimento é sinônimo de abrir uma cardeneta de poupança. E isto não é mero acaso. A facilidade em aplicar o dinheiro, a isenção de impostos e o baixo risco de prejuízo são um dos maiores motivos de sua popularidade. Mas, colocando a sua fama de lado, é uma opção realmente rentável?

Atualmente, o investimento na cardeneta da poupança tem frustrado milhares de brasileiro devido ao seu baixo rendimento. A rentabilidade pouco supera a alta taxa da inflação, a qual aumenta o preço dos produtos e serviços, e, consequentemente, diminui o poder de compra de seu dinheiro com o passar dos anos.

Segundo especialistas, a caderneta de popupaça é um investimento que deve ser evitado, pois qualquer outro investimento, nas situação atual, é mais vantajoso do que a poupança. Embora não seja possível perder dinheiro com esse investimento, ou seja, ficar com saldo negativo, esse rendimento pode nem sequer ultrapassar a taxa de inflação.

Por isso, é importante se informar sobre as alternativas de investimento para o seu dinheiro além das mais tradicionais. A inflação e taxa de juros, por exemplo, são fatores que devem ser levados em consideração antes que você escolha no que vai investir o seu dinheiro. Nesse artigo vamos explicar com mais detalhes a rentabilidade da cardeneta da poupança.

Como o rendimento da poupança é calculado?

Em 2012, o rendimento da caderneta da poupança sofreu alterações na forma de fazer o seu cálculo. Essa mudança, no entanto, apenas gera efeitos para os depósitos realizados após o dia 04 de maio de 2012. Os depósitos anteriores a essa data, ou seja, até 03 de maio de 2012, garantem o antigo cálculo de rendimento.

Por uma questão de organização, vamos explicar o cálculo do rendimento da poupança antes da mudança de suas regras e depois de suas mudanças a baixo.

Cálculo do rendimento antes do reajuste

Caso você tenha depositado dinheiro até o dia 03/05/2012, a sua rentabilidade vai ser caculada da seguinte forma: 0,5% somado ao TR (taxa referencial). Ou seja, você terá a garantia dos 0,5% mais a TR do período em questão.

Calculo do rendimento após o reajuste

Por sua vez, os depósitos em dinheiro na caderneta de poupança após o dia 04/05/2012 tem a sua rentabilidade calculada de formas diferentes dependendo do percentual da SELIC. Descrevemos as duas regras, logo abaixo:

  • Selic inferior a 0,8%: Quando a taxa SELIC está inferior a 0,8%, o cálculo do rendimento é 70% da SELIC + Taxa de Referência.
  • Selic superior a 0,8%: Já quando o rendimento do SELIC ultrapassar 0,8%, o cálculo do rendimento é de 0,5% + Taxa de Referência.

Em outras palavras, quando a taxa SELIC está superior a 0,8%, isso faz com que o rendimento da caderneta de poupança seja semelhante ao cálculo antigo, explicado acima, rendendo por volta de 6% ao ano. O que é, em tese, bom para investimentos na caderneta de poupança.

Qual o rendimento da poupança hoje?

Atualmente, a taxa Selic está com índice de 11,25% ao ano, devendo ser calculado o rendimento da poupança da forma antiga, 5% + TR, o que alcança aproximadamente 6% ao ano. Esse resultado ainda não é atraente para os investidores, uma vez que o rendimento da poupança ainda fica atrás do Tesouro Selic e CDB.

Vale lembrar, por oportuno, que não se deve confundir o rendimento real com o rendimento absoluto. Para saber quanto é o rendimento real da caderneta de poupança, é necessário descontar a taxa de inflação dos lucros apresentados.

Em 2016, o cálculo do rendimento da poupança, em termos absolutos, foi de 8,30%. Mas, sendo descontada a inflação, apenas 1,89% foi o lucro do investimento da poupança. O que demonstra, sem dúvidas, que a inflação faz com o que dinheiro se desvalorize, ainda que esteja na poupança.

O que é taxa Selic ?

Sistema Especial de Liquidação e de Custódia, mais conhecido através da sigla Selic, é frequentemente comentado em notícias relacionadas a economia. Mas, poucas pessoas sabem, de fato, o que significa, apesar de seu rendimento ter consequências diretas em suas vidas.

O rendimento da taxa Selic é definida pela a média de juros cobrada ao governo brasileiro ao pegar empréstimo com instituições financeiras. É por conta disso que quando a Selic está alta, os bancos priorizam emprestar dinheiro ao governo brasileiro, uma vez que gera maior lucro. No entanto, quando a taxa Selic está baixa, os bancos preferem emprestar m dinheiro aos consumidores, já que não é tão lucrativo emprestar para os bancos.

Quais as suas consequências?

A taxa Selic se reflete nos juros cobrados em empréstimos para consumidores, sendo as taxas de juros maiores quando a Selic está alta e, por conta disso, estarem priorizando emprestar mais dinheiro ao governo. Não sendo um dos melhores momentos de pegar um empréstimo com o banco.

Mas, não é apenas nas taxas de juros dos empréstimos, cobrados pelos bancos, que a Selic está presente. A Selic alta também influencia a inflação, ou seja, os preços dos produtos e serviços. Quando a Selic está alta, os consumidores enfrentam dificuldade em comprar e vender produtos, pela diminuição da circulação de dinheiro.

A taxa Selic atual é favorável para investimentos?

Atualmente, com taxa Selic de 12,25%, é mais favorável os rendimentos de rendas fixa como, por exemplo, o Tesouro Selic e CBDs, uma vez que é essa taxa que define os juros pagos pelo banco aos seus consumidores. Entretanto, deve ser evitado investir na poupança, uma vez que o seu retorno é o menor comparado com os outros investimentos com até 3% para prazos longos e 2% para todos os prazos.

Nos últimos meses, a poupança tem registrado rendimentos abaixo da inflação, o que fez com que se tornasse uma opção ruim em relação aos outros investimentos. O Tesouro Selic, por exemplo, teve rentabilidade maior que a inflação e a poupança. Mas, se a taxa Selic diminuir par a 9%, como esperado por especialistas, a poupança renderá novamente mais que as rendas fixas, uma vez que seu rendimento é isento de taxas e impostos.

O que é Taxa Referencial?

No início dos anos de 1990, a Taxa Referencial foi criada com o objetivo de controlar a inflação que alcançou a taxa de 1600%, elevando o preço de produtos e serviços a valores inimagináveis. Com essa situação crítica, foi instituído o Plano Collor II como forma de combater a hiperinflação, tendo como uma de suas medidas adotadas a TR.

Embora o Plano Color II não tenha sido bem-sucedido em seu objetivo de diminuir a inflação, a Taxa Referencial ainda é utilizada na economia brasileira. Hoje em dia, é através da Taxa Referencial que é feita a correção monetária dos valores como a caderneta de poupança, valores de empréstimos, FGTS, e outros investimentos financeiros.

Quais as suas consequências?

Assim como falamos acima, não é apenas a caderneta de poupança que é influenciada pela Taxa Referencial, mais conhecida pela sua sigla TR. Essa taxa é fortemente presente em diversos tipos de investimentos, sendo importante que você compreenda os seus efeitos em sua vida.

Na caderneta de poupança, por exemplo, o índice da Taxa Referencial é presente no cálculo do rendimento da mesma. No cálculo do rendimento da poupança é somada a Taxa Referencial mais os juros, o qual são definidos pela taxa Selic. É por isso que o rendimento da poupança varia de acordo com os meses, não mantendo um rendimento estável.

Como é calculada a TR?

A Tarifa Referencial é calculada pelo Banco Central do Brasil levando em consideração a média de rentabilidade dos CDB/RDB durante 30 a 35 dias corridos, de acordo com a análise da taxa de juros de 30 maiores instituições financeiras do país.